A Corrida dos Ratos! - O Espaço - Equilíbrio, empatia e prática A Corrida dos Ratos!

A Corrida dos Ratos!

2015/09/29 | Nenhum comentário | |



Um conceito clássico no mundo da educação financeira, a Corrida dos Ratos é muito bem abordada no também clássico Pai Rico Pai Pobre de Robert Kiyosaki, porém pouco conhecida fora desse universo.


O termo “Corrida dos Ratos” é usado para definir um exercício sem-fim, autodestrutivo e inútil. Lembrando aquele ratinho de laboratório que tenta escapar correndo sem fim dentro de uma roda.


Corrida dos ratos

E como isso se aplicaria em nossa vida financeira? Vamos para uma breve análise!  =))


Pode ser que você já tenha sentido aquela sensação de que o dinheiro está curto e que as contas estão cada vez maiores, mais confusas e abocanhando quase toda a receita que você produz. Para resolver esse problema, o primeiro pensamento é aumentar os ganhos, na tentativa de deixar as coisas um pouco mais estáveis, certo?. Assim, as pessoas trabalham muito em busca de um alívio financeiro, fazem cursos, fazem duras horas extras, buscam promoções, bônus, comissões, vendem as férias e por aí vai... Mas o problema continua.


Porque quanto maior o aumento de receita, maior também será o seu gasto. Infelizmente, isso acontece com a maioria das pessoas, não importa o tamanho da sua remuneração, se você ganha um salário ou dez, ao dobrar o seu rendimento, você acaba mais que dobrando os gastos. Nós não conseguimos parar pra considerar o que estamos fazendo, apenas reagimos ao medo e ao desejo. Em um efeito bola de neve, quanto mais você trabalha, mais você acaba devendo. Percebe, então, o exercício sem-fim, autodestrutivo e inútil? Eis a corrida dos ratos...

Mundo corporativo


" ... - Muito bem - disse pai rico suavemente. - A maioria das pessoas tem um preço. E tem um preço por causa de duas emoções humanas, o medo e a ambição. Primeiro, o medo de não ter dinheiro as leva a trabalhar arduamente e, quando recebem o contracheque, a ambição ou o desejo, as levam a pensar nas coisas maravilhosas que podem ser compradas. Então define o padrão.
- Que padrão? - perguntei.
- Acordar, ir para o trabalho, pagar as contas, acordar, ir para o trabalho, pagar as contas... Suas vidas então são conduzidas sempre por duas emoções: medo e ambição. Ofereça-lhes mais dinheiro e elas continuarão o ciclo, aumentando também as despesas. É isso que chamo de "corrida dos ratos"
- E há outro jeito? - perguntou Mike.
- Sim - disse pai rico. - Mas só poucas pessoas descobrem." 

O que fazer?

“Cara, eu até concordo com você, mas não vejo como sair disso, minha vida já está toda embolada, faturas de cartão uma atrás da outra, fazendo empréstimo para cobrir empréstimo. A bola de neve já me engoliu, ou eu ganho a mega sena ou não tenho como mais sair dessa situação”.

Tem como sair sim, meu amigo! Como vimos, o problema não está no dinheiro que entra, está na nossa mentalidade atitude. Muitas pessoas acertam na loteria e rapidamente voltam ao estado de desconforto, é comum de se ver até mesmo com jogadores de futebol que se aposentam. Da mesma forma, pessoas bem sucedidas que perdem tudo por alguma eventualidade, rapidamente recuperam a boa forma, isso acontece porque elas pensam de maneira correta.


Sair da corrida dos ratos é um grande desafio. Usar dinheiro parece ser uma habilidade que aprendemos de forma natural, como andar, correr, comer... Porém, precisamos de estudo, ensinamento, seja com os pais ou até mesmo na escola, e isso raramente acontece. Mudar a forma de pensar e agir pode ser um grande incômodo. É duro reconhecer que precisamos de ajuda, mas acredite, todo mundo precisa!


Precisamos ampliar nossos horizontes, através dos conhecimentos e do exercício de bons hábitos. Assim sendo, me despeço deixando algumas leituras que podem ajudar-nos a despertar uma consciência maior em relação ao universo das finanças:


Vida Próspera - Capítulo 1 - Como pagar duas dívidas;


- Vida Próspera - Capítulo 2 - Mantendo o equilíbrio financeiro;


- Ativos e Passivos: O diferencial das pessoas que prosperam.
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário