E você? Também é um assassino de ideias? - O Espaço - Equilíbrio, empatia e prática E você? Também é um assassino de ideias?

E você? Também é um assassino de ideias?

2015/11/01 | Nenhum comentário | |

Todos os dias milhões de ideias maravilhosas são concebidas por pessoas que querem fazer diferente, pessoas que querem quebrar a rotina, sair do automático, nem que seja um pouquinho, nem que seja da forma mais simples.

Todos os dias essas ideias são massacradas. Você também é um assassino?


O valor de uma boa ideia.

Ideias grandes, ideias pequenas,  tanto faz, são igualmente bonitas. A beleza de uma ideia não está no seu tamanho, está na capacidade de adicionar VIDA à vida de quem a pratica e de todas as pessoas que estão ao redor, que além de poderem usufruir da sua própria realização, também vão se sentir motivadas a dar mais um passo e caminhar nas suas próprias inspirações.

E acredite. Não há nada mais gratificante do que conseguir motivar aquela pessoa que você sabe que é capaz de realizar belíssimas coisas. E isso apenas colocando em prática aquele pequeno devaneio que passou por sua cabeça.

Se você acredita em correntes do bem, onda positiva e essas coisas, é disso que estamos falando.
Se você acredita que pode ajudar a fazer do mundo o lugar melhor, é exatamente disso que estamos falando.
E principalmente, se você acredita que a vida pode ser melhor através das coisas mais simples, também é disso que estamos falando.. =)

Eu vejo coisas como:




Plantar uma pequena horta em casa.
Escrever.
Um livro, um blog, uma poesia.
Escrever suas conclusões sobre algo.
Ler algo diferente.
Atuar.
Ensinar alguém.
Aprender algo novo.
Gravar vídeos.
Fazer uma surpresa.
Enviar uma carta à moda antiga.
Montar algo.
Criar, desenhar.
Reciclar.
Fazer um mochilão.
Vender algo.
Fazer caridade.
Visitar um abrigo, um asilo. Visitar alguém que precise.
Praticar algum instrumento. Um esporte novo.
Organizar um clube de leitura, organizar um futebol semanal.
Fazer aquele curso que não tem nada a ver com a sua formação.
Empreender.
Começar um negócio.


Eu vejo essas coisas surgindo e morrendo todos os dias. Poderia ficar listando para sempre. São coisas que realmente fazem a diferença, só de colocar em prática. Mesmo a mais simples das ideias carrega imenso poder de transformação na experiências de todas as pessoas ao redor.
                                     
Favela Santa Marta-RJ. Ideia linda sobrevivente =)



O mundo que quer te parar.

No entanto, como criaturas de hábito, é extremamente difícil quebrar a rotina pra fazer 0,001% diferente. Temos um script a seguir. Temos um modelo de tudo que é normal, que é comum. E somos impelidos à segui-lo. Sair do normal parece absurdo. Você é louco? Pra quê isso?

Acordar, trabalhar, surfar um pouco na internet, tv, dormir.
Final de semana. Sair para beber com as MESMAS pessoas de sempre, nos MESMOS 4 ou 5 lugares de sempre.

Apesar de ser muito chato, as pessoas estão por aí fazendo o seu normal. Elas estão desestimuladas e vão querer te desestimular também. Não é por mal, todos aprendemos a ser assim.

O nosso sistema de ensino está algumas décadas defasado, focado em fazer de você um seguidor de regras, um decorador e repetidor de padrões. A CRIATIVIDADE, as DIFERENÇAS entre as pessoas e tudo aquilo que está fora dos padrões decorebas não são interessantes para eles. Somos condicionados.


E assim, milhões de ideias maravilhosas são enterradas sem ao menos terem a chance de mostrar que são capazes de nos fazer VIVER.
Às vezes não dá nem tempo do olho brilhar, não dá tempo de se deslumbrar. O negativismo vem rapidamente, matando a ideia prematura.


Como nosso cérebro condicionado justifica um crime (nem tão) perfeito.


Diversas são as desculpas para este tipo de delito, mas nenhuma pode realmente justificar este crime bárbaro cometido diariamente. Vamos tratar dos três principais argumentos que nos paralisam:

1) Eu não sei como começar. Eu não sei como fazer. Eu não levo jeito.


Já conversamos sobre isso AQUI. O segredo é apenas começar, do jeito que der. Nós gostamos de ter na mente a imagem perfeita de início, meio e fim. Queremos saber como vai ser cada do etapa processo, cada passo precisa estar claro. Mas, na maioria das vezes, isso não vai ser possível. O que acontece é que os caminhos vão surgindo ao longo da caminhada. É preciso ir criando contato, é preciso ir criando intmidade, é preciso ERRAR. Errar é ótimo. Errar é andar pra frente, é progresso. Não há outra formar de se aproximar do acerto senão pelo erro. Quem erra está anos luz à frente de quem tem medo de tentar.



2) Não vai dar certo/É muito difícil.


Vai dar certo sim! Difícil pode até ser, mas e daí? Não fazer nada? Aonde está o brio? Não volte para a TV antes de tentar alguma coisa. Com toda certeza, alguma coisa positiva vai sair disso. Eu te garanto. Faça com vontade, com amor. Insista. Dará certo! E se não der? Não tem problema nenhum. Você JÁ fez toda a diferença. Só de tentar. Você já quebrou o modo automático. Sabe o quanto isso é poderoso, significativo? Quebrar aquele modelo que nos enfiam goela abaixo? Você já está mais propenso a dar espaço à sua mente criativa. A tentar mais vezes, mais coisas, de outras maneiras. Você já está sendo exemplo para os outros ao redor.  E o melhor, você está cada vez mais experiente e sábio! Então vá em frente, meu amigo!


3) Dá muito trabalho/ Estou com preguiça


Essa é a pior de todas. É difícil eu falar algo aqui. Vontade de te jogar um balde de água gelada. Eu imploro, não seja uma pessoa medíocre a esse ponto.  Vá em frente cara. Seja grande. Vou te contar um segredo. O esforço mental gerado por um estado de preguiça é muito maior do que o esforço real de se realizar uma tarefa. Um dia inteiro que você se entrega à preguiça é um dia que você termina cansado, com cada vez menos disposição de iniciar alguma coisa depois. Por isso, mesmo com um sentimento de preguiça, é melhor sempre iniciar de alguma forma, devagar, de um jeito pequeno e, assim, o movimento vai fazendo bem, a energia começa a vir. Ficamos envolvidos. 

















Dica Bônus: Separe-se do seu ego

Este é um detalhe muito importante. Todas as justificativas estão relacionadas com o nosso ego, com o nosso senso de identidade.

Se você pratica uma ideia bacana, você é uma pessoa bacana e diferenciada, você vai se sentir bem por isso. Porém, o oposto também se aplica. Se não der certo, você é alguém incapaz, pessoa fraca, sem talento. Não vale a pena se arriscar. Arriscar a reputação. Parecer um bobo que está inventando moda. Eu chamo isso de medo zero, porque tudo parte dele. É difícil assumir da muito medo colocar a nossa identidade em cheque, então inventamos todas essas justificativas. Te convido a fazer uma auto-análise sincera e identificar o medo zero.

Encontre a beleza no seu ato, não no resultado dele. Não dependa de um resultado bom pra se sentir bem. Não tenha medo de um resultado ruim te fazer mal. Lembre-se, você não é o resultado das sua criações, você é você. Esteja firme e consciente de quem você é, nenhum fator externo pode mudar os seus princípios e o seu caráter, e não há nada mais valioso do que isso! Isso se chama inteligência emocional.


Para despedir, deixo um poderoso mantra com vocês:

"fazer é sempre melhor do que não fazer. Na dúvida, apenas faça".


just do it! heheheheh


A você que acompanhou até aqui, o meu mais sincero obrigado! Se estiver interessado em uma continuação mais aprofundada sobre justificativas, desculpas, ego e inteligência emocional, curta e deixe um comentário sobre. Vamos conversar!!

Espaço Educação
Acreditemos nas pessoas e vamos crescer juntos!
;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário