Sonhos, por Yakubu de Almeida - O Espaço - Equilíbrio, empatia e prática Sonhos, por Yakubu de Almeida

Sonhos, por Yakubu de Almeida

2016/05/16 | Nenhum comentário | |

"Ao futuro já não tão distante
Eu peço-te um pouco de paz
Andando em terra de gigante
É preciso cuidar do que se faz

Quero falar sobre sonhos
Desejos e fantasias sem fim
De poder encher os meus planos
Na esperança de um lugar para mim

Um trabalho, uma casa, uma esposa
Caminho certo parece que ideal
Mas confesso abestalhado me ouça
Não parece sentido real

Há mais coisas entre o ceu e a terra
Foi dito no tempo de outrora
Compreendo que agora é hora
De encarar a subida da serra

Gosto de ajudar os outros e sei
Que maior contentamento eu que sinto
Talvez não seja tão ruim ser o rei
Se de repente o amor fosse infinito

Já pensei em ser super heroi
Daqueles que protegem do mal
Ser aquele tipo de cowboi
De armadura, poderes e tal

Penso talvez neste sentido
Fazer da minha vida um trabalho
Satisfação de dever comprido
Sem fazer disso um  percalço

Talvez na onu, na unesco talvez.
Sinto que chegará a minha vez
Do lugar no mundo encontrado
Como se sente a caixa do sapato

Se sinto prazer em ajudar
Farei da minha vida altruìsta
Sem me importar com quem me julgar
Minha busca de egoísta

Percebo-me sensível ás emoções
Aos encontros de corações
Força imensuravel do amor
Acalento sublime da dor

Vou por aí buscar meu caminho
Devagar, de pouquinho em pouquinho.
Vou eu mesmo criar meu destino
Às vezes se preciso sozinho

Doar-me a algo que tenha coração
Eis ai uma pequena missão
Um projeto de um sonho de vida
Algria de vida bem vivida

Brilho nos olhos, gratidão sincera
É o amor que na fila de espera
Aguarda para ser resgatado
Onde alguém paciente espera
Outro em para abrir a janela

Há muitos caminhos possíveis
Há felicidade em todos eles
Acredito que posso escolher
Aquele me ajuda a crescer

Eu decido então trabalhar
Para trazer um pouco de luz
Diante dessa materia que seduz
Que amor do mundo volte a brilhar".

Yakubu de Almeida

reflexo, narciso, o espaço
____________________________________________________________ Esta foi a primeira contribuição que recebemos aqui no Espaço. O autor se identifica como Yakubu de Almeida.
O que este texto lhe passa? A mim, uma inquietude, uma busca, talvez por propósito. Um propósito que não encontramos nos caminhos convencionais. Parece-me que Yakubu o encontrará no amor.
Você já se sentiu assim?  Para enviar o seu texto, utilize o email: oespaco.net@gmail.com

Grande Abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário