O Caminho da Comunicação Autêntica, porque se relacionar dói. - O Espaço - Equilíbrio, empatia e prática O Caminho da Comunicação Autêntica, porque se relacionar dói.

O Caminho da Comunicação Autêntica, porque se relacionar dói.

2017/08/15 | Nenhum comentário | |

A gente não sabe muito bem como se relacionar. É natural, afinal dificilmente aprendemos alguma coisa nesse sentido. Aí vai na tentativa e erro mesmo, aprendendo na marra.

O problema é que o erro machuca e, às vezes, dói demais. Deteriora as relações e nos coloca a quilômetros de distância emocional das pessoas que amamos.

Alguém querido e próximo pode, rapidamente, se tornar um estranho.



A gente finge que o relacionar é óbvio, como comer ou dormir. Mas, no fundo, sabemos que não é. A verdade é que é muito difícil se conectar com alguém e trocar experiências genuínas. Não somos preparados para buscar a compaixão, a empatia e a autenticidade.


egoísmo e abismos na comunicação
Abismos...
Temos a ingenuidade de achar que é só colocar um monte de gente que se ama para morar junto (família), ou um monte de gente talentosa para trabalhar junto que tudo vai dar certo.

Só que não é bem assim...            

No nosso processo de educação formal, não aprendemos a nos relacionar. Grande parte das conversas, tanto nas mídias quanto na vida real, são pautadas no "jogo dos culpados e inocentes". Ou seja, eu te julgo pelo seu comportamento e você me julga pelo meu.

Se o outro presta mais atenção nos detalhes do que eu, então ele é “chato e perfeccionista”. Porém, se dou aquele que dá mais atenção aos detalhes, então ele é “relaxado e desleixado”.

Se meu companheiro demanda mais atenção do que eu, então ele é “grudento e pegajoso”, porém se eu sou aquele que demanda mais atenção, então ele é “frio e insensível”.

É como se a gente vivesse projetando nossos valores e vivências nos outros e extraindo disso julgamentos moralizadores. E assim, esperando que eles mudem para só então sermos felizes.

Quando paro pra pensar nisso, percebo que a nossa cultura é um tanto narcisista e egoísta. E que somos induzidos a buscar a satisfação de nossas necessidades através do controle, do medo, da ameaça, da culpa e da barganha.

De alguma forma, isso faz sentido pra você também? Te soa familiar em algum momento.




Mas pode ser diferente, mais leve, autêntico e mais gostoso.


O problema cultural e coletivo de comunicação é realmente muito triste. Mas eu me sinto alegre e cheio de esperança quando entendo que começamos a ficar presente pra ele. Começamos a visita-lo, tentando entende-lo e fazer dele menos impactante em nossas vidas.

Muitas pessoas dedicam suas vidas ao desenvolver das humanidades. Pessoas que buscam um relacionamento mais humano do eu com ele mesmo, com o outro e com o mundo. Profissionais das mais diversas áreas que se envolvem sonham a construção de um mundo em que a compaixão dita as regras do jogo.

É nesse sentido que eu gostaria de apresentar à você a Carol Nalon e a Tiê Coaching.

Bióloga de formação, a Carol mudou o rumo da carreira para trabalhar com desenvolvimento humano e Comunicação Não Violenta e tornou-se uma eterna inquieta que acredita no poder da empatia. Ela percebeu que poderia impactar o mundo apostando no poder da autenticidade para construção de relações mais humanas.

O projeto que conduz, chamado Caminho da Comunicação Autêntica, já impactou milhares de pessoas no Brasil e ao redor do mundo.

Hoje - é com imensa alegria que divido isso com você - foi ao ar a primeira aula do mini-curso gratuito do Caminho da Comunicação Autêntica. Uma ótima maneira de você conhecer o trabalho da Carol e refletir e aprender temas relevantes do nosso contato e conexão humanos.


O caminho da comunicação autentica


A Carol ajuda várias pessoas a adquirir ferramentas pra um processo humano mais leve e gostoso. Espero que possa, de alguma forma, te ajudar também. Seja na sua área de estuda ou na sua vida pessoal.

Certo?

Obrigado por ter chegado até aqui e grande abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário