Com que profissão eu vou? - O Espaço - Equilíbrio, empatia e prática Com que profissão eu vou?

Com que profissão eu vou?

2017/11/28 | Nenhum comentário | |




--
Vamos discutir um pouco sobre escolha profissional e adolescência;) 

Associar à escolha profissional a um projeto de vida e ao autoconhecimento são provocações pelas quais os adolescentes nem sempre estão preparados para enfrentar. É sempre um desafio! Cabe ressaltar, que a escolha profissional é um sintoma completamente saudável e diz do amadurecimento de cada um de nós. 

A escolha profissional, no Brasil, pode ser considerada precoce uma vez que, na maioria das vezes, é exigida ao final da conclusão do ensino médio, aos 17 anos. Mais que isso, o ambiente escolar tradicional nem sempre prepara os estudantes para realizar essa opção pelo futuro profissional e nem há orientação para a construção de um projeto de vida.



escolha profissional, como escolher?



A experiência em consultório indica a existência de um desconhecimento pueril sobre os cursos e opções de carreira pretendida, e, geralmente, os jovens chegam até os vestibulares mais movidos por idealizações de profissões ou cursos, do que propriamente por opções pautadas em análises mais criteriosas que os levem a maior assertividade no momento da escolha profissional.

A escolha profissional é um processo e ao adolescente cabe escolher uma profissão que orientará seu futuro em meio a inúmeras modificações sociais e hormonais que lhes são inerentes nesta fase da vida. 


Além disso, existem milhares de opções de escolha, cada dia surge uma nova profissão no mercado e este se modifica a todo instante. A volatilidade do mercado faz com em meio há infinitas possibilidades haja uma “desorientação profissional” e a economia do país não garante nenhuma solidez. Desse modo, é sempre preciso inovar, em qualquer área de atuação. 



No Brasil o trabalho ou a carreira estão intimamente ligados a um valor social e as pessoas são delimitadas, muitas vezes, pelo status social de sua escolha profissional. As crianças sempre escutam: O que você vai ser quando crescer? Neste momento já está girando a roleta da escolha profissional. 


Com o passar dos anos e o fim do ciclo escolar, o adolescente é convocado a um posicionamento e uma decisão final! Acabou o tempo! A cobrança social e familiar faz com que o adolescente se pergunte: E agora? Mesmo que exista um sonho de infância de seguir uma determinada carreira, há uma insegurança natural. 

E, além disso, qualquer que seja a situação monetária da família, neste momento o adolescente é convocado socialmente a responder pela sua escolha: Você já está na faculdade? Você vai trabalhar ou estudar? Você já arrumou um emprego? O que você quer para o seu futuro? Sua família não vai te sustentar pelo resto da vida, já pensou nisso?

E o adolescente, está preparado emocionalmente? 

Será que os adolescentes conseguem vislumbrar que a escolha profissional não é algo rígido como demanda a sociedade? As inúmeras possibilidades, quando encaradas com clareza, são a garantia de que é possível reinventar qualquer profissão e o próprio mercado de trabalho. Há, cada vez mais, uma exigência pela criatividade de qualquer profissional. Entretanto, é preciso ter clareza de que equívocos acontecem e que escolher o caminho errado não é o fim do mundo, a vida existe para sempre recomeçarmos. 

Na contemporaneidade, o processo de escolha profissional é um momento paralelo ao processo de construção da identidade do sujeito. Todos os elementos de seu mundo psíquico e sua história de vida, integram seu processo de escolha: suas expectativas em relação a si e aos outros, seus gostos, habilidades desenvolvidas, imagens registradas em seu mundo particular, seus limites, possibilidades e desejos, ou seja, todo o seu mundo interno é mobilizado neste momento. 

Diante disso, uma dica é ampliar os horizontes e deixar as pressões pessoais e sociais em segundo plano. O estresse é inimigo de uma boa escolha. Contar com a ajuda da família, dos amigos e de um profissional também são dicas importantes, pois as dificuldades se tornam mais leves quando podemos ampliar nossa visão de mundo através do outro. Se estiver difícil demais: procure ajuda! 

Uma dica: esteja sempre aberto(a) às novidades, uma profissão pode se desmembrar em vários caminhos. Informe-se: amplie seus conhecimentos com relação ao mercado de trabalho, às novas profissões e às tendências e tenha mais elementos para fazer sua escolha profissional com mais autonomia e assertividade.

Em todos os momentos da vida ela nos pede que façamos escolhas e que tenhamos posicionamento frente a nossas convicções. A profissão é apenas uma delas. E então: estamos prontos para encarar as consequências de nossas escolhas? O amadurecimento está vinculado à compreensão mínima do porquê de nossas vontades e desejos. Para isso, o autoconhecimento é fundamental e está intimamente ligado à decisões de sucesso. Na dúvida, sempre invista e aposte em você! 


Sobre o Autor:


Andressa do Carmo Pereira Sou Andressa do Carmo Pereira, 27 anos, Psicóloga, Coach, mineira e apaixonada pelos temas: empreendedorismo, adolescência, juventude, carreira e comportamento humano. Saiba mais >>>

Nenhum comentário:

Postar um comentário