Reclamar e desenvolver: duas coisas que não conseguem conviver - O Espaço - Equilíbrio, empatia e prática Reclamar e desenvolver: duas coisas que não conseguem conviver

Reclamar e desenvolver: duas coisas que não conseguem conviver

2017/11/20 | Nenhum comentário | |




--
Blá, blá, blá...


Parece que trabalho foi feito pra gente reclamar dele, né? Só que não!

Quando alguém diz que está pleno e realizado no trabalho a gente assusta.

Quais valores você associa a uma pessoa realizada no trabalho? Pensou em dinheiro né?

Nós temos a mania de assimilar realização profissional ao dinheiro, posses e bens materiais, na maioria das vezes. Já parou para pensar que ser rico/milionário não é o sonho de todo mundo? Que tem pessoas que não sonham com grandes cargos e empregos?

A grande maioria das pessoas reclama do trabalho SIM. Não vamos mentir. E há uma variedade de fatores para a reclamação: o chefe, o colega, o salário, a cadeira, o ar condicionado... E às vezes até a formiga que passa por ali.

Tudo bem reclamar (mas, nem tanto), afinal somos seres humanos, mas e aí? O que você vai FAZER em relação a isso? Você sabe mensurar esse desconforto? É tão incomodo ao ponto de te tirar o humor, a vontade de seguir em frente? Ou você já está tão acostumado a reclamar que não para mais para pensar em soluções?

reclamar e desenvolver não dá pra fazer


As pessoas devem tomar para si a responsabilidade da condução de suas próprias carreiras. Neste sentido, é importante avaliarmos se a insatisfação com o trabalho é realmente pertinente, real, concreta, e, então o que fazer com isso? A insatisfação é com o que você faz ou com você mesmo? A reclamação já está crônica? Qual o seu posicionamento diante das dificuldades que encontra?

São muitas as questões.

Só que a mensagem é só uma: Você pode me dizer que o seu trabalho paga pouco, que seu chefe é truculento... Ok! Isso não está certo. Realmente às vezes sofremos abusos no mundo do trabalho.

Contudo, qual a sua ação frente a isso? É só reclamar?

Qual a sua responsabilidade para seguir na direção dos seus sonhos profissionais? Porque eu acredito muito que seu sonho não seja reclamar a vida toda. 


Sobre o Autor:


Andressa do Carmo Pereira Sou Andressa do Carmo Pereira, 27 anos, Psicóloga, Coach, mineira e apaixonada pelos temas: empreendedorismo, adolescência, juventude, carreira e comportamento humano. Saiba mais >>>

Nenhum comentário:

Postar um comentário